top of page
  • Foto do escritorBragaHabit

Programa de combate à pobreza energética passa a ser anual

Com o êxito da 1ª edição, o Município de Braga renova o programa, apoiando mais 200 famílias. As candidaturas já se encontram abertas.



Com o objetivo de melhorar a eficiência energética dos bracarenses, o Município de Braga, através da Bragahabit, disponibilizará, anualmente, meio milhão de euros, para apoiar famílias em situação de pobreza energética. Este apoio será aplicado nos casos em que a energia represente mais de 10% do rendimento e a pessoas com casa própria.


Depois da 1ª Edição, esta terça feira foi apresentada, na sede da Associação Empresarial de Braga (AEBraga), a versão permanente deste apoio. O mesmo disponibiliza um leque de 34 empresas locais, devidamente identificadas pela associação, aptas para desenvolver os trabalhos que se exigem no prazo máximo de um ano.


Com o tempo médio de 9 meses, entre submissão de candidatura, avaliação, visita e execução da obra, o programa visa:

  • ajudar as pessoas a aumentarem o conforto nas suas casas;

  • diminuir custos com a energia.


Na primeira edição, no ano de 2023, foram:

  • validadas 419 manifestações de interesse pelos serviços da Bragahabit;

  • realizadas 217 visitas técnicas pelo departamento de manutenção, obras e projetos;

  • formalizadas 199 candidaturas (176 das quais contempladas com o voucher máximo de 2500 euros).


Em declarações à RUM, Carlos Videira, administrador da Bragahabit, refere que, em comparação com o fundo ambiental,


Faz sentido investir este dinheiro na melhoria das condições de habitualidade das famílias até porque o programa do governo tem revelado muitas dificuldades. Aqui a realidade é diferente. O nosso programa funciona melhor, em primeiro lugar o valor, que é o dobro praticamente, o que faz com que o número de intervenções seja mais significativo.

As candidaturas para 2024, já se encontram abertas, sendo o valor máximo por voucher de 2 500 euros. As mesmas podem ser submetidas no balcão digital da Bragahabit.


Com um número de manifestações de interesse que foi o dobro do número de beneficiários que podiam ser abrangidos em 2023, optou-se por manter as condições de elegibilidade: habitação própria permanente e ser beneficiário de tarifa social de eletricidade.

Como se candidatar


Para isso, tem que entregar a última fatura de eletricidade que comprove que beneficia de tarifa social de eletricidade. Assim como a certidão predial, para garantir que é proprietário do imóvel.

No prazo de duas semanas será contatado pela Bragahabit para agilizar uma visita técnica que avaliará as melhores respostas para o problema. Por fim, a equipa remeterá a proposta de solução concreta e a lista de fornecedores onde o beneficiário poderá pedir um orçamento.


Ricardo Rio, presidente do Município de Braga, que marcou presença no lançamento da segunda edição referiu que este apoio


Apresenta uma prioridade às políticas de promoção da sustentabilidade e da utilização eficiente da energia. Além disso, em simultâneo, é apoiada a dinamização económica do território.

Finaliza ressalvando que

Há ainda muitas pessoas que podem beneficiar desta resposta daí que tenhamos optado por torná-lo mais permanente. Mais do que ser uma iniciativa pontual, é uma política estrutural do município que queremos que atinja, no limite, todos os beneficiários potencialmente abrangidos pela iniciativa.

Por sua vez, a Associação Empresarial de Braga parceira no projeto, através de uma lista de fornecedores que promovem os trabalhos nas habitações dos agregados elegíveis, elogia finalidade e apoio dado a empresas do território. 


Rui Marques, diretor-geral da AEBraga, destaca um programa de


Grande sucesso, num processo simples e de confiança. Com fornecedores, com uma tramitação rápida sem que os pagamentos tenham sofrido qualquer atraso.

bottom of page