top of page
  • Foto do escritorBragaHabit

Bragahabit e AEMinho assinam protocolo para criação de fundo de apoio para jovens empreendedores

O acordo foi assinado no passado dia 03 de Junho, pelo presidente da AEMinho, Ricardo Costa, e pelo administrador da BragaHabit, Carlos Videira.



Os dois responsáveis esclareceram que o protocolo assinado foca-se principalmente em três eixos:

  • a constituição de uma plataforma que reúna as necessidades das organizações sociais e as das empresas que têm a responsabilidade social como objetivo;

  • colocar os associados da AEMinho e os empresários da região à disposição dos empreendedores sociais (através dos processos de mentoring e de acompanhamento);

  • criação um fundo para apoiar os jovens empreenderes sociais nos seus objetivos.


Ricardo Costa adiantou que


A AEMinho está mais vocacionada para médias e grandes empresas do setor industrial. É isso que nós lhes queremos colocar à disposição: empresas já com alguma história, empresários com alguma experiência, que colocam o seu conhecimento à disposição destes jovens empreendedores. Há cada vez mais empresas no terceiro setor que conseguem montar projetos sustentáveis ao longo do tempo, e com impacto na sociedade.

Por sua vez, Carlos Videira recordou que, aquando a criação do Human Power Hub, ficou decidido que interviria em quatro vertentes:

  • cidadãos;

  • setor público;

  • empresas;

  • conhecimento.

Ao longo dos anos, tem vindo a trabalhar sobretudo nas duas primeiras.


Entendemos que este é o momento de trabalhar a vertente das empresas e a da academia. Este protocolo assenta nesta dupla vertente. Trata-se de incutir nas empresas a responsabilidade social e corporativa para que estejam cada vez mais orientadas para o impacto, para o bem estar e para a qualidade de vida dos seus clientes e dos seus colaboradores.

Os projetos promovidos pelo Human Power Hub têm muitas vezes uma índole social muito avançada, mas não têm um plano de negócios estável, coeso e capaz de gerar valor não só na vertente social, mas na económica, e este protocolo pretende articular os mundos empresarial e da inovação social.

Município de Braga atribuiu Prémios de Inovação Social


Ainda no sábado, o Município de Braga reconheceu o trabalho desenvolvido por três organizações sociais da cidade. Foram entregues os Prémios de Inovação Social 2023 destinados aos participantes no Boostcamp de Inovação para Organizações Sociais. No total, as três organizações foram reconhecidas com prémios no valor de 5 mil euros.


Carla Sepúlveda, vereadora da Inovação e Coesão Social, referiu que o objetivo do Festival de Inovação Social é dar a conhecer projetos de inovação social e empreendedores sociais que podem trazer impacto para a sociedade.


Das nove instituições que apresentaram ideias, o júri escolheu três vencedores:

  • projeto dos Humble Bee que apresentaram uma ideia inovadora, na área da música, que conta com a participação do Centro Novais e Sousa;

  • projeto de inovação social da Cerci Braga;

  • projeto de inovação social da Cruz Vermelha Portuguesa.


A vereadora explicou que

É uma forma de incentivarmos as instituições a apresentarem candidaturas com impacto e que venham resolver questões sociais.

Da período da tarde, o Município de Braga atribuiu mais 5 mil euros em prémios aos três vencedores do Programa de Aceleração do Human Power HUB. Este investimento permitirá aos empreendedores alavancarem os seus projetos e terem condições para entrarem no mercado.

Comments


bottom of page