• BragaHabit

BragaHabit cede habitação para criação de residência partilhada no Bairro das Andorinhas

A BragaHabit vai disponibilizar uma habitação à Associação de Moradores das Andorinhas para a criação de uma residência partilhada.



O protocolo de colaboração e respetivo contrato de comodato foram assinados no dia 27 de julho de 2022. Numa cerimónia que contou com a presença do administrador executivo da BragaHabit, Carlos Videira.


Habitações em regime de residência partilhada

Atualmente, a BragaHabit conta com 20 residências partilhadas. Sendo que 13 delas estão sob a sua gestão direta e outras sete estão protocoladas com outras entidades. Como a Cáritas Arquidiocesana de Braga, a Casa de Saúde do Bom Jesus, a Delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa e o Município de Braga, no âmbito do Núcleo de Planeamento e Intervenção dos Sem-Abrigo.


A estas, junta-se agora a residência partilhada protocolada neste dia 27 de julho. É a primeira a ser gerida por uma Associação de Moradores. Esta fração cedida pela BragaHabit destina-se ao acolhimento de indivíduos que se encontrem em situação de vulnerabilidade social.


Segundo explicou Carlos Videira, esta é uma medida que visa dar resposta a algumas situações de vulnerabilidade social e habitacional. Situações que necessitam de um acompanhamento de maior proximidade. Mas que não preenchem os requisitos de acesso ao regime de residência partilhada, estabelecidos no Regulamento de Apoio à Habitação do Município de Braga. “O regime de residência partilhada destina-se a promover o acesso ao alojamento e às condições que permitem o treino e exercício de autonomia. Com vista à integração social dos residentes.”, referiu.


A residência partilhada no Bairro das Andorinhas

A habitação situada no Bairro das Andorinhas é cedida, a título gratuito, à Associação de Moradores. Esta Associação ficará responsável pela supervisão da residência, assim como pela realização de um acompanhamento de proximidade dos residentes envolvidos.


Os primeiros beneficiários serão três homens, um deles internado, atualmente, nos cuidados continuados, na sequência de um acidente.


Carlos Videira destacou o caráter inovador da parceria, afirmando que “a BragaHabit tem procurado estreitar os laços com as associações de moradores do Município. Nomeadamente, através da realização de Assembleias de Moradores. No sentido de identificar problemas e soluções, garantindo, simultaneamente, a capacitação das suas estruturas”.


Acrescentou, ainda, o administrador executivo da BragHabit que “A gestão desta residência partilhada por parte da Associação de Moradores assegura uma resposta de proximidade, essencial para o acompanhamento dos seus beneficiários. E ao mesmo tempo contribui para o alargamento da esfera de ação da associação e para uma maior corresponsabilização da mesma na gestão do seu habitat”.


Início do protocolo

O protocolo entra em vigor já no próximo dia 1 de agosto e tem a duração de 24 meses. A renovação é automática por iguais períodos.


Antes disso, "há pequenas intervenções" a fazer, como referiu o administrador da BragaHabit, Carlos Videira. Sendo que esta habitação faz parte do programa Primeiro Direito e, por isso, no futuro, será alvo "de uma requalificação total". Tal como vai acontecer com outros apartamentos deste bairro, que já têm candidaturas aprovadas.


Além disso, a Associação de Moradores ainda poderá recorrer ao banco de bens da BragaHabit, "que ajudará a apetrechar a casa de equipamentos para o bem-estar das pessoas", como referiu o administrador da empresa municipal.





Conheça os programas e respostas de Apoio Habitacional da BragaHabit aqui.


8 visualizações