top of page
  • Foto do escritorBragaHabit

Bairro das Andorinhas: de mal visto a exemplo de vida

Outrora estigmatizado pela droga, o Bairro das Andorinhas conta hoje com espaços verdes e um ambiente agradável.



Hospitalidade é palavra de honra por aqui. É dia da semana e na sede da Associação de Moradores do Bairro das Andorinhas, os reformados reúnem-se para convívio. O bairro está mais calmo, contudo Flávio Vieira refere que


Se tivessem vindo ao sábado, na sala aqui ao lado havia um alvoroço de jovens nas horas de apoio ao estudo ou de adultos nas formações de informática.

O presidente da associação destaca o papel importante de todos.


Tenho esse título porque alguém tinha de o ter no registo, mas o trabalho é feito por igual por todos e todas.

Atualmente a associação tem 180 sócios pagantes. Mas, o trabalho é desenvolvido tendo em conta os interesses dos cerca de 950 habitantes desta área residencial.


Há quem chegue de novo, mas na sua maioria, os habitantes conhecem o bairro há décadas, como é o caso do presidente Flávio Vieira. Bombeiro de profissão, chegou ao bairro com 6 anos e nunca mais daqui saiu.


Foi na casa dos 20 anos que, juntamente com um grupo de amigos, decidimos reativar a associação de moradores.

À época, o Bairro das Andorinhas era um dos mais estigmatizados, face ao clima de insegurança então vivido. Mas, o presidente garante que são problemas passados e as mudanças são visíveis.

Onde havia terra batida e cimento, há hoje relva, árvores e plantas. Onde, à porta de cada prédio, se acumulavam carros, há agora caminhos pedonais e espaços verdes vedados à circulação automóvel. Existe um parque infantil e um de desporto. Para além disso, a Páscoa ou o verão passaram a ser ocasiões em que bairro se abre à cidade, com programação musical e cultural. Por tudo isto, Flávio Vieira refere


Tenho orgulho de morar aqui.

O presidente destaca ainda a mudança que a voz coletiva da associação trouxe ao Bairro das Andorinhas.


A voz coletiva tem o alcance e o poder que a individual não consegue ter. As instituições já conhecem o nosso nome e temos assento em órgãos consultivos municipais, por isso, a probabilidade de nos escutarem é maior.

Exemplo disso são as obras de requalificação, consultas gratuitas de psicologia e nutrição. Mas também.


A segurança e tranquilidade de viver num local agradável.

21 visualizações

Comments


bottom of page