• BragaHabit

Rede URBACT reuniu em Braga para delinear estratégias para implementação dos ODS


O presidente da Câmara Municipal de Braga, Ricardo Rio esteve presente na sessão de encerramento da oitava Transnational Meeting da rede URBACT "Global Goals for Cities". Uma reunião transnacional organizada pelo Município em colaboração com a BragaHabit, através do projeto HumanPowerHub (HPH) - Centro Inovação Social de Braga.



Parceria estratégica para acelerar o progresso


A sessão decorreu nos dias 27 e 28 de Setembro, no edifício Gnration. A "Global Goals for Cities" é uma rede piloto e uma parceria estratégica destinada a acelerar o progresso. Essencialmente, para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Para isso, a rede promove a aprendizagem entre pares e o planeamento de ações integradas, em 19 cidades da União Europeia. Nomeadamente, Klaipėda (Lituánia), Braga (Portugal), Bratislava (Eslováquia), Gävle (Suécia), Glasgow (Reino Unido), Heraklion (Grécia), La Rochelle (França), Manresa (Espanha), Reggio Emilia (Itália), Schiedam (Paises Baixos), Veszprém (Hungria),Solingen (Alemanha), Mouscron (Bélgica), Trim (Irlanda), Ozalj (Croácia), Jihlava (República Checa), Dzierżoniów (Polónia) e Veliki Preslav (Bulgária).


Os ODS são uma ferramenta muito importante para a gestão da Cidade


Na atividade estiveram presentes os coordenadores de projeto das 19 cidades. Bem como, especialistas em sustentabilidade e representantes da União Europeia para promover a implementação dos ODS. Braga apresentou a implementação desta agenda e os próximos passos no desenvolvimento sustentável.


Segundo Ricardo Rio, o executivo está bastante empenhado neste tópico. “Os ODS são uma ferramenta muito importante para a gestão da Cidade. Permitindo uma abordagem holística e a implementação de uma estratégia de planeamento. Através da implementação e monitorização de iniciativas específicas, nomeadamente, através do índice de desenvolvimento sustentável. Isto num trabalho em parceria com a Universidade Católica”, referiu o autarca. Sublinhando também a importância de outras ferramentas. Tais como, o relatório de sustentabilidade, a ligação efetuada entre o orçamento municipal e os ODS ou a mobilização da sociedade para este tema.


O financiamento específico que é necessário


O Presidente da Autarquia lembrou, ainda, os dados de um estudo da OCDE. Que indicam que mais de 60% dos ODS só podem ser atingidos com intervenção direta dos poderes locais e regionais. “As cidades estão a liderar em termos de sustentabilidade. Mas para além da vontade política, é necessário financiamento específico para as atividades desenvolvidas pelas autoridades locais e regionais. Sem o qual torna-se difícil continuar com os projetos e, consequentemente, atingir os objetivos propostos pela UE para 2030”, afirmou.


Por fim, Ricardo Rio referiu que os últimos dois anos trouxeram algum retrocesso nesta matéria e apelou a um maior compromisso das entidades europeias. “Fatores como a pandemia, a guerra ou a inflação levaram a uma falta de comprometimento das entidades europeias, sendo fundamental reverter essa situação, valorizar o trabalho das cidades e colocar os ODS no centro da gestão estratégica”, sublinhou.


Descubra agora mais sobre o Centro de Inovação Social, Human Power Hub, aqui.





6 visualizações