top of page
  • Foto do escritorBragaHabit

Viva o Bairro: II edição promove a democracia participativa e a coesão social

A cerimónia de assinatura dos protocolos aconteceu dia 05 de Janeiro, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, em Braga.



Os dez projetos selecionados visam promover a coesão social, segurança e qualidade de vida nos bairros de bracarenses. O valor global de financiamento sobe de 170 mil euros, em 2024, para 200 mil euros, em 2024.


Na cerimónia de assinatura dos protocolos marcaram presença João Rodrigues, vereador da Habitação da Câmara Municipal de Braga, Carla Sepúlveda, vereadora da Inovação e Coesão Social, e Carlos Videira, administrador da BragaHabit.


Carlos Videira destacou a forma como correu a I Edição, onde foram desenvolvidas iniciativas de natureza diversa, como projetos:

  • desportivos;

  • culturais;

  • de apoio à infância;

  • de apoio à terceira idade;

  • de edução;

  • intervenções no espaço público.


Coube ao município e à BragaHabit dar as ferramentas para que as comunidades fossem capazes de concretizar aquelas que entendiam ser as suas necessidades. O município confiou que as associações de moradores e as entidades seriam capazes de fazer melhor. Hoje podemos dizer com orgulho que o resultado da 1.ª edição veio contribuir para uma melhor qualidade de vida das comunidades nos diversos espaços e bairros onde os projetos foram implementados.

Para Carlos Videira,


Estamos perante um bom exemplo de boa política pública de promoção da participação dos cidadãos no que diz respeito às políticas de habitação e da habitat, ou seja, o município de Braga não está preocupado apenas que as pessoas tenham um teto onde morar, mas também que gostem do local onde moram, tenham qualidade de vida e serem felizes.

João Rodrigues sublinhou que


Este programa é um bom exemplo de democracia participativa, numa efetiva delegação de competências na sociedade e que coloca uma verba considerável ao serviço da população. Estes projetos foram propostos pelas diversas associações que desempenham um papel extremamente importante no âmbito de abrangência das suas comunidades. É muito importante para o Município de Braga que, quer na vertente financeira, quer na vertente imaterial, tem desenvolvido diversos projetos que promovem a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

Por sua vez, Carla Sepúlveda, destacou o reforço das parcerias ao longo destes últimos anos:


Esta é uma política que vem dar voz aos cidadãos e às organizações, apoiando projetos diferenciadores que promovem o bem-estar. Continuaremos atentos às propostas apresentadas, vamos querer ver os resultados efetivos no terreno, para que possamos continuar a apostar no essencial que é o bem-estar de todos.

A Vereadora da Coesão Social garantiu ainda que


O município irá apoiar sempre que dificuldades surjam, para que o objetivo final possa ser concretizado e tenha um impacto positivo nas comunidades. Este é um compromisso de todos.


Nesta edição, das 12 candidaturas, foram financiados os 10 seguintes projetos:

  • Viva às Andorinhas”, da Associação de Moradores das Andorinhas em parceira com a Associação Ágora Bracarense (20.000€);

  • Bairro Alegre”, da Associação de Moradores do Bairro da Alegria em parceria com a Junta de Freguesia de S. Victor (20.000€);

  • Escola de Música e Cidadania”, promovido pela Fundação Bomfim, em parceria com a União de Freguesias de S. Lázaro e S. João do Souto e Associação de Moradores do Bairro Nogueira da Silva (29.997€);

  • Envelhecimento Ativo”, da Associação de Moradores do Bairro Social das Enguardas, em parceria com a Junta de Freguesia de S. Victor, Casa do Areal e Liga Portuguesa Contra o Cancro (20.000€);

  • 2.º Festival Internacional de Ilusionismo”, da Associação de Moradores de Montélios e S. Frutuoso, em parceria com a União de Freguesias de Real, Dume e Semelhe, Associação de Moradores do Parque Norte e Escoteiros de Braga - Grupo 53 Real (20.000€);

  • Hortas Comunitárias”, da Associação de Moradores do Bairro Nogueira da Silva, em parceria com a União de Freguesias de S. Lázaro e S. João do Souto (10.000€);

  • Das Ruas para o Ringue”, da Associação Parretas Team – APT, com o apoio da União de Freguesias de Braga Maximinos, Sé e Cividade (20.000 €);

  • Academia Tecl@rt”, da Delegação de Braga da Cruz Vermelha Portuguesa, em parceria com a Junta de S. Victor e Associação Juvenil "A Bogalha" (20.000€);

  • CATIVAR 2.0”, da Associação Juvenil "A Bogalha", com o apoio da Junta de S. Victor, Casa de Saúde do Bom Jesus e Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (20.000€);

  • Turma do Bairro”, da Organização Portuguesa de Ajuda Humanitária, em parceria com a ADMS – Braga (20.000€).

7 visualizações

Comments


bottom of page